Modos de (Des)tecer o Tempo: “Reparação” Através da Narrativa Literária e da Narrativa Fílmica

  • Diogo dos Santos Souza Instituto Federal de Alagoas
Palavras-chave: Literatura, Cinema, Tempo, Adaptação

Resumo

O presente texto realiza uma análise da forma como o tempo é construído no romance Reparação (2001), de Ian McEwan, e em sua adaptação fílmica homônima, produzida em 2007 por Joe Wright. Em ambas as narrativas, o tempo figura como um elemento essencial para a construção de enredo e a tessitura das relações entre as personagens. A foco narrativo do texto literário e do texto fílmico possui o tempo como uma perspectiva que conta as histórias, já que o leitor/a espectador/a acompanha várias fases da vida de quem narra. Sendo assim, numa proposta de leitura interartes, o trabalho desenvolvido investigou os recursos utilizados, tanto em página quanto em tela, para a construção do tempo enquanto um elemento que é atravessado por memórias e produtor de conflitos entre as personagens.

Biografia do Autor

Diogo dos Santos Souza, Instituto Federal de Alagoas

Doutorado e mestrado em Letras e Linguística pela Universidade Federal do Alagoas (UFAL), Graduado em Letras-Português Licenciatura pela mesma instituição, bolsista do Programa de Educação Tutorial (PET), de 2009 a 2011. Aluno do Programa de Mobilidade Acadêmica por um semestre da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Professor de Língua Portuguesa e Literatura do Instituto Federal de Alagoas - Campus Marechal Deodoro. Coordenador Sistêmico do Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas (Napne) na Reitoria.

Publicado
2024-01-10