História e Cinema:

A Margem como Resistência no Filme de Ozualdo Candeias*

  • Publicação Cruzeiro do Sul Virtual

Resumo

O presente artigo tem como escopo trazer o cinema e a cidade
como partes constituintes dos estudos historiográficos, assim como
tratá-los sob a luz da História Cultural. O filme A Margem (1967), do
cineasta Ozualdo Candeias nos possibilita fazer algumas conjecturas,
mediante análises acerca dos fatos e das tensões políticas em uma
São Paulo pujante e, concomitantemente, paradoxal. Com isso, trazer
para a superfície dos acontecimentos os sujeitos marginalizados é
fazer, nos moldes benjaminianos, uma leitura a contrapelo dos fatos.
Nesse sentido, ter o filme como um documento passível de leitura é
conduzir um estudo norteado pelo fio condutor das minucias dos
acontecimentos, o que nos possibilita compreender dada conjuntura
por meio das práticas sociais ali existentes.

Publicado
2019-11-05
Como Citar
CRUZEIRO DO SUL VIRTUAL, Publicação. História e Cinema:. REVISTA PLURI, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 105-118, nov. 2019. ISSN 2596-1098. Disponível em: <http://revistapluri.cruzeirodosulvirtual.com.br/index.php/pluri/article/view/95>. Acesso em: 05 dez. 2019.