Hamlet e a Psicanálise

a Gênese Literária da Melancolia

  • Publicação Cruzeiro do Sul Virtual

Resumo

Este ensaio visa a trazer, em um primeiro momento, os paralelos
literários entre Shakespeare e Freud a partir das análises de Harold
Bloom, em especial discorrendo sobre a importância histórica de
Hamlet, o Príncipe da Dinamarca. Em um segundo momento, trataremos
da diferença apontada pelo próprio Freud entre o complexo de
Édipo em Sófocles – ausente do mecanismo de recalque –, e o complexo
de Édipo em Hamlet, na aurora do século XVII, caracterizado
por seus traços melancólicos e, fundamentalmente, pela formação
do recalque. Pode-se dizer então, que Édipo se torna Hamlet via recalque
com o avanço civilizacional. À guisa de conclusão, tentaremos
responder à seguinte pergunta proposta de início: o que Hamlet tem
a ensinar ao indivíduo contemporâneo, para quem a melancolia pode
ser um estado intolerável?

Publicado
2019-11-05
Como Citar
CRUZEIRO DO SUL VIRTUAL, Publicação. Hamlet e a Psicanálise. REVISTA PLURI, [S.l.], v. 2, n. 1, p. 211-221, nov. 2019. ISSN 2596-1098. Disponível em: <http://revistapluri.cruzeirodosulvirtual.com.br/index.php/pluri/article/view/104>. Acesso em: 05 dez. 2019.